Como ganhar links naturais com bookmarks de imagem

Como ganhar links naturais com bookmarks de imagem

Como diz um amigo: a vida é um search. Tudo o que antes a gente fazia manualmente, tem se transformado em utilidades digitais. O post it virou bookmark, o livro de recordações virou Facebook, e, pra algumas pessoas (…), a fofoca virou Twitter. E agora, o seu mural de fotos espetadas em cortiça virou um “visual bookmark”. (Não que essas sejam a reais utilidades desses sites… Mas, não vamos entrar nessa questão).

Com o crescimento do Pinterest surgiram também alguns outros sites que favoritam fotos, como o We heart it e o Pinspire. Vamos conhecê-los?

O Pinterest nasceu em 2010 e como eu já suspeitava e segundo uma matéria do site FFW, é o queridinho de noivas, fashionistas e chefs. Em janeiro deste ano passou a casinha dos 10 milhões de visitantes únicos.

Para ingressar na rede, você precisa ser convidado ou pedir a participação – que foi o que eu fiz e minha resposta de cadastro levou uma semana para chegar.

No começo do mês o Ique Muniz, da MestreSeo, publicou um artigo bem completo sobre essa rede. E lá ele diz: “O Pinterest se define como um “mediador de gostos e interesses”. Cada “alfinetada” marcada pode revelar coisas em comum entre dois usuários e é com base nesse tipo de comportamento que a rede foi criada.

Mas, como qualquer sucesso de um site ou ferramenta online, sempre é possível ir mais além. Não se trata apenas de um compartilhamento de imagens e, por isso, profissionais começam a descobrir possibilidades para usá-lo a favor de uma empresa, seja para o marketing ou para a venda de produtos/serviços.

E, assim como acontece no Twitter, os usuários podem seguir outros perfis e ‘pinar’ as fotos de outro usuário. Cada foto pinada vai para o perfil do usuário que a alfinetou, o que dá mais visibilidade àquele conteúdo e, consequentemente, ao site fonte original da imagem.

Como o artigo do Ique está bem completo, sugiro que vocês deem um pulinho lá pra entender melhor essas alfinetadas do bem. (Mas voltem aqui!)

Segue o link: http://www.mestreseo.com.br/redes-sociais/voce-conhece-o-pinterest

 

É, nós realmente amamos isso. Acho o We heart it a rede mais ‘bonitinha’. Tem cara de mulherzinha, e, no geral, é bem parecido com o Pinterest. Aqui, ao invés de alfinetar uma foto, você ama. Olha que fofura! (Só muda o nome, a função é a mesma)

Não é necessário ser convidado, é só fazer o cadastro e sair distribuindo corações em fotos. E igualmente ao Pinterest, ele também dá a opção de adicionar o botão que fica na barra de ferramentas do navegador e facilita a vida na hora de favoritar uma imagem. E, o botão do We heart it é o mais prático dos três. E mais bonito também.

 Informação adicional: O We Heart it foi criado pelo designer brasileiro Fabio Giolito em 2007 e hoje tem em média 5 milhões de usuários.

 

O Pinspire segue a mesma função dos dois citados acima. A principal diferença é que é brasileiro (oba!). E já tem uma boa quantidade de membros. Assim como os outros, tem o botão de compartilhamento rápido e pode ser acessado com login do Twitter ou Facebook.

Testei e não achei muito intuitivo nem organizado. Me senti um pouco claustrofóbica por ali, mas, no fim das contas, cumpre a missão. Quando você se cadastra, ele te da uma opção de assuntos para seguir. Então, cada vez que você faz o login, cai direto em uma página com as atualizações dos usuários relacionados aos interesses que você marcou quando fez o cadastro.

E outra coisa (que não achei útil): ao preencher o seu perfil, você tem a opção de cadastrar seu website. Mas quem disse que encontrei esse link depois?

Ele também ‘organiza’ as fotos por murais de assuntos específicos. Ou seja, organização é o lema dos três. Se bem que, nesse último caso… Não exatamente tão organizado assim.

Mas e aí, como essas redes podem contribuir para o trabalho de SEO?

De duas formas. Parafraseando o Ique, os três sites deixam um “link maroto” na foto. (No caso do We heart it, dois links. Um para o domínio do site da foto pinada, e outro para a página específica).

Olha só:

Por isso, quanto mais seguidores tiver e mais influente você for nessas redes, maior é a visibilidade gerada para o seu conteúdo.

Mas, o que mais me chamou atenção mesmo é que a criatividade pode (e deve) ir muito além. Os sites podem ser usados como vitrine. (Oi, nicho de moda).

É claro, não precisa ser só para lojas de roupas, bolsas, sapatos, acessórios… Se o produto tem apelo visual, ou tem potencial pra isso, é suficiente. Ou pelo menos é um bom começo.

Segundo informação do artigo do FFW, “marcas como Gap e Kate Spade, lojas de departamento como a Bergdorf Goodman, canais de televisão, jornais e revistas já se deram conta do poder de compartilhamento do Pinterest e já investem para construir a sua imagem ou vitrine (no caso das lojas) em mais uma rede social”.

Então, se seu produto/site é forte no uso de imagens, não fique nessa de criar perfil fake com linkezinho no profile. Você pode conquistar mais!

Crie um perfil para sua loja. A quantidade de usuários que esses três (e outros que devem existir) somam é absurdamente grande. Levando em consideração que boa parte desses mesmos usuários pode ter perfil no Facebook e/ou no Twitter, e que eles têm a possibilidade de integrar as contas, já conseguiu pensar na visibilidade que sua marca pode ganhar?

E a quantidade de ‘repinadas’ que seus produtos podem receber? (Essa pode ser também uma boa forma de avaliar o quanto seu produto está agradando).

 

*Observação: Quando uma foto é repinada, o site mostra de quem é a postagem original. Então, não publique qualquer imagem. Se vai usar algum desses sites como estratégia, leve a sério mesmo.

 

Pitaco

Dos três, o Pinterest é o que tem a maior quantidade de membros. Mas, eu gostei mais do We heart it. Achei mais prático e… fofo. *-*

Em todos eles, os links são do follow, mas, quem diria… O Pinspire é o único que indexa a página específica com a foto pinada. Ou seja, é melhor para o ganho de backlinks. Os outros dois só indexam o perfil do usuário.

Dica: Não faça por fazer. Essas são redes que têm crescido muito, que significa que para que uma estratégia de SEO dê certo, você deve pensar no usuário e não na quantidade de links que você vai somar.

Se seu perfil na rede for bom, se você agregar algo a quem faz parte dessas comunidades, os links vão surgir naturalmente, não se preocupe! Então, não meça esforços e crie conteúdo visual de qualidade.

Dica Fashion: Além desses, ainda tem o Fashiolista, mas esse é voltado para as fashionistas. Ele armazena aqueles achados de moda, looks, entre outros. E é só pra esse nicho e com essa finalidade, mesmo. O perfil nesse site vira uma wish list. Eu gostei.

 

E aí, conhece algum outro site? Tem alguma experiência legal pra contar? Compartilha com a gente!

Comments

comments