Como produzir conteúdo de qualidade para SEO

By 25 de setembro de 2013 SEO

A definição mais simplista de SEO todos nós já conhecemos: a utilização de técnicas para manter o seu site no topo da lista entre os mais visitados do Google e outros buscadores. Mas, diferente do que já está definido, estas mesmas técnicas nem sempre são tão simples como parecem. Para isso, primeiro é preciso se convencer de que, mesmo não sendo simples, nada em SEO é totalmente impossível. Quando bem pensada e organizada, a estratégia poderá trazer resultados melhores que o esperado.

Um dos maiores desafios é a produção de conteúdo e estamos aqui para ajudar quem está interessado ou é apaixonado por todas as surpresas que uma boa otimização pode trazer! 🙂

Google, fala pra gente: o que é um conteúdo de qualidade?

Antes mesmo da criação, mais coerente ainda é entender a fundo o que o Sr. Google define como conteúdo de qualidade.

Sabe-se que, atualmente, existem duas métricas que devemos dar uma atençãozinha especial: a que define a qualidade e mensura os números de backlinks que linkam ao seu site, conhecida como Autoridade da Página, e o engajamento obtido pela utilização das rede sociais.

É claro que várias ferramentas ajudam (e muito) no rankeamento dos buscadores, mas para quem está começando no mundo do SEO, a utilização do Google Analytics é indispensável, pois com muita facilidade é possível acompanhar indicativos sobre o tráfego e o engajamento social.

keywords

A partir disto, é possível se basear em outras três métricas mais específicas para entender se a página possui ou não o que os leitores pesquisam e os buscadores indexam:

1 – Tempo de permanência na página

Um dos conceitos mais simples e importantes para a definir a qualidade do conteúdo: o tempo de permanência do usuário na página. Quando bem entretido e dispondo um certo tempo dentro do site, o Google entenderá que ali existem bons requisitos para ser bem rankeado. Apenas isso não basta, mas para um bom profissional de SEO, até mesmo as métricas simples possuem grande relevância sobre as estratégias.

2 – Actual Bounce Rate

Não se assuste caso o usuário entre em seu site e não passe da home. É preciso cruzar esses dados com o tempo de permanência. Por outro lado, a atenção deve ser redobrada, caso a taxa de rejeição seja alta e o tempo de permanência na home seja baixo. Dica simples: aprofunde-se no Analytics e verifique a origem dos acessos para este conteúdo, pois pode ser que a falta de uma auditoria de palavras-chave esteja prejudicando o rendimento da página no Actual Bounce Rate.

3 – Engajamento social

Junto à utilização das redes sociais, o dono/desenvolvedor/SEO do site deve acompanhar o desempenho da página. Com isso, de acordo com a autoridade da página será possível concluir o nível de qualidade do conteúdo em questão.

redes sociais

Sendo o centro da estratégia, o conteúdo deve ser produzido de acordo com o público, mercado e nicho em que se encontra, onde o que é produzido para um determinado grupo pode não ser tão relevante quanto para outro.

A identificação da target, por exemplo, pode ser definida e bem aproveitada com o uso das redes sociais (Facebook e Twitter, na maioria dos casos) a favor da página. Saber qual linguagem é adequada, classe social, região e outros fatores é fundamental. A análise constante do seu próprio trabalho é o que definirá novas mudanças e abordagens diferentes. Produzir sem antes conhecer seu próprio público? Caetano Veloso diria: “que loucura, cara!”

caetano veloso.

Demanda de busca e resultados

Quem produz também deve pensar como quem pesquisa. Elabore seu conteúdo já pensando nas tags e palavras-chave. Quando determinadas, recomenda-se a utilização delas nos títulos e subtítulos do seu texto. Uma ferramenta simples e de grande ajuda é a Google Trends, que possui informações sobre o que usualmente os usuários procuram.

Para medir os resultados, pode-se partir de dois princípios: popularidade e consumo do conteúdo. No primeiro caso, o uso das redes sociais para auxiliar na divulgação de um Guest Post, por exemplo, pode ser de grande ajuda, já que informações como curtidas, compartilhamentos e retweets são bastante acessíveis: métricas simples, porém muito relevantes.

Outra dica é a criação de parcerias com sites ou blogs do mesmo segmento. É importante selecionar apenas páginas de qualidade, para assim também gerar links externos qualitativos. Como diria minha tia-avó: nunca plante uma orquídea onde só nasce graminha rasa. 😛

Quer expandir um pouco mais as ideias? Segue os links:

– Saiba como encontrar e avaliar oportunidades para oferecer um Guest Post.
– Vídeo (em inglês) sobre as vantagens e os efeitos do uso adequado das tags.

E você, tem alguma outra dica sobre como produzir conteúdo de qualidade para SEO? Compartilhe nos comentários e bom trabalho! 😀

Recomendamos para você

Comments

comments

Marcus Paulo Gonçalves

About Marcus Paulo Gonçalves

Formando em Publicidade e Propaganda pela UDC, estagiou como Cinegrafista na Foz TV e como Auxiliar Administrativo, na Secretaria Municipal de Turismo de Foz do Iguaçu. Entrou para a equipe Enlink em 2012, saiu em 2014 e retornou em 2018. Atua como Assistente de Marketing Digital.

Leave a Reply